O QUE VOCÊ PROCURA?

6 de novembro de 2017 às 17h32

Discussões sobre PPAG começam na ALMG

Seja o primeiro a comentar! Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF

  •  

    A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) iniciou na segunda-feira (30) a Discussão Participativa do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 2017-2019 – Revisão 2018, em Belo Horizonte. No primeiro dia de atividades, realizadas na Escola do legislativo, representantes das áreas governamentais de direitos humanos e esportes fizeram um balanço das execuções em 2017 e previsões para o próximo ano e nos grupos de trabalho os participantes elaboraram suas sugestões. Na terça-feira, foi a vez das áreaas de assistência social, segurança alimentar, trabalho, emprego e renda.

     

    Desde 2003, a Assembleia promove os debates sobre o PPAG por iniciativa da Comissão de Participação Popular (CPP), então presidida pelo deputado André Quintão. Nos debates deste ano, André lembrou exemplos que a incorporação de temáticas novas por meio da participação popular no PPAG já rendeu programas e ações governamentais, como o próprio cofinanciamento do Sistema Único de Assistência Social (Suas) em Minas. “Agora, com a ameaça de cortes de 98% dos recursos federais ao SUAS, devemos usar esse momento também para uma reflexão sobre uma área tão importante”, registrou o parlamentar.

     

    Garantia de Direitos
    O assistente social, Bruno Alves, que participou dos debates na terça-feira, falou sobre como o PPAG pode garantir mais direitos para a comunidade LGBT. “Quanto mais propriedade sobre os instrumentos de orçamento a sociedade civil tiver, mais controle e mais propriedade pra cobrar do Estado nós vamos ter,” afirmou.

     

    CLIQUE AQUI e veja toda a matéria 

     

    Desdobramentos
    As sugestões colhidas durante a revisão participativa do PPAG serão recebidas pela Comissão de Participação Popular e podem ser transformadas em propostas de ação legislativa (PLEs). Podem ainda dar origem a emendas ao PPAG e ao Orçamento do Estado, a projetos de lei de autoria da própria Comissão ou a pedidos de providências ao poder público.



    COMENTÁRIOS:

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *